Microcorrente – o que é, cuidados e como é feita

O que é microcorrente?

Microcorrente é um tratamento de eletroestimulação que utiliza correntes de baixa intensidade e baixa frequência, podendo ser contínua ou alternada. A microcorrente aumenta o metabolismo das células em até 500%, incluindo a produção de energia, síntese de proteínas, oxigenação e eliminação de resíduos, estimulando assim a drenagem linfática do local em que ela foi aplicada.

Indicações da microcorrente

A microcorrente é utilizada para melhorar a flacidez muscular e também elasticidade, textura e viço da pele. Também é capaz de estimular o realinhamento das fibras colágenas e potencializar a circulação linfática, portanto é indicada para tratamento de acne, estrias e linhas de expressão e para o pós-operatório de cirurgia plástica.

Como é feita a microcorrente?

A microcorrente pode ser aplicada usando os eletrodos comuns, como borracha de silicone ou autoadesivos, ou com eletrodos em forma caneta. O tempo de aplicação vai depender do objetivo do tratamento. Ela pode ser aplicada no corpo todo e também no rosto. A principal característica desse tratamento é o uso de correntes com amplitude ajustada em até 600 microampères. A intensidade e a frequência variam de acordo com a finalidade do tratamento, mas sempre serão medidas em unidades micro. Por isso mesmo, não causam dores ou desconforto no paciente.

Sessões

O número de sessões depende do objetivo do tratamento. Os efeitos das microcorrentes são acumulativos, ou seja, vão aparecendo no decorrer das sessões. Normalmente deve-se realizar várias sessões para que sejam alcançados os resultados desejados, no mínimo 10, com a periodicidade de até duas vezes na semana. A manutenção pode ser necessária, mas depende da necessidade do paciente. Ela pode ocorrer em um período mais curto (como para acne), ou uma manutenção mais demorada como para um rejuvenescimento.

Profissionais que podem aplicar a microcorrente

O tratamento pode ser feito por profissionais da área da saúde, como médicos, fisioterapeutas dermatofuncionais e esteticistas.

Cuidados antes da microcorrente

Não há cuidados específicos que o paciente deve fazer antes da sessão, apenas garantir que a pele esteja íntegra, ou seja, sem machucados e não utilizar nenhum creme.

Cuidados após a microcorrente

Depois do tratamento, é importante fazer um home care com produtos a base de colágeno e elastina, de acordo com a orientação do especialista.

 

Grávida pode fazer?

Gestantes são contraindicadas a qualquer tratamento que utilize corrente elétrica.

Depois da microcorrente
Ao final do tratamento é esperada melhora do tônus muscular e da elasticidade, viço e textura da pele. Também é possível perceber melhora do sintoma que foi tratado.

Alie a microcorrente com:

Fortalecimento muscular da face

Quando a microcorrente é feita no rosto com a intenção de melhorar o tônus da pele, é importante continuar fortalecendo os músculos, pois o principal sistema responsável pele elevação e firmeza da pele é o sistema muscular. Para melhorá-lo, pode ser fazer ginástica facial em casa ou eletroestimulação facial.

Contraindicações

Esse tratamento é contraindicado para pessoas com alergia ou irritação à corrente elétrica, neoplasias, portadores de implantes metálicos, dermatites e dermatoses cutâneas. Também não deve ser feito diretamente sobre o eixo cardíaco e marca-passo.

Artigo do Momento

Preenchimento com ácido polilático – o que é, cuidados e como é feito

O que é o preenchimento com ácido polilático? O preenchimento facial é um procedimento estético …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *